Mercado de Energia

Para entender o mercado de energia é preciso primeiro entender sua estrutura física e quais as entidades e empresas envolvidas, que participam, regulamentam, operacionalizam e controlam não só o mercado, mas o setor elétrico como um todo.

A Estrutura Física:

Apesar de o Brasil ser um país de proporções gigantescas, a rede de transmissão e distribuição de energia elétrica cresceu de tal forma que temos um sistema que interliga grande parte do território nacional, conhecido como SIN - Sistema Interligado Nacional.

Uma etapa relevante nessa questão, foi a interligação do sistema Manaus, sistema que atende grande parte do território do Amazonas, que passou a se integra ao SIN a partir de maio de 2015. Processo no qual a Simple Energy participou ativamente, contribuindo para a conclusão dessa importante etapa de evolução do Setor Elétrico.


 


A Governança:

Para gerir essa estrutura e mantê-la em perfeito funcionamento, atendendo a demanda atual e criando mecanismos que permitam o seu crescimento físico e o aprimoramento regulatório, operacional e comercial, o setor é regido, regulamentado, monitorado e operado por diversas entidades com funções específicas e complementares, sendo as principais:


De forma geral o CNPE, MME e CMSE são responsáveis pela política energética do país, gestão, supervisão e desenvolvimento da legislação do país.

A EPE é responsável pelo planejamento da expansão, a ANEEL regula e fiscaliza, o ONS controla a operação do SIN e a CCEE administra as transações comerciais do mercado.

Os ambientes de contratação:

O Mercado de Energia Elétrica pode ser dividido em dois ambientes, o Ambiente de Contratação Regulado – ACR e o Ambiente de Contratação Livre – ACL.

Ambiente de contratação Regulado – ACR:

Esse ambiente é caracterizado por suas tarifas reguladas e atendimento realizado pelas concessionárias de distribuição, as Distribuidoras.

Aqui as Distribuidoras são responsáveis pela entrega da energia, ou seja, administram, operam e mantém as redes de distribuição, como também pelo suprimento de energia.

As distribuidoras adquirem a energia por meio de leilões e repassam os custos nas tarifas aos seus clientes, o chamado mercado cativo.

Assim, as grandes empresas realizam, além de contratos de fornecimento de energia, contratos de conexão e uso do sistema de distribuição e ficam sujeitas aos custos de energia repassado pelas distribuidoras.

Ambiente de contratação Livre – ACL:

No ambiente livre as Distribuidoras continuam sendo responsáveis pelo transporte de energia, porém a compra dessa energia pode ser adquirida de qualquer fonte, seja de um gerador ou de uma comercializadora.

Aqui o consumidor continua realizando os contratos de conexão e uso do sistema de distribuição (ou transmissão – dependo do ponto de conexão) com a Distribuidora, porém o contrato de fornecimento será realizado de forma independente.

As oportunidades:

Diante desse contexto surgem grandes oportunidades.

A Simple Energy atua na ponta de consumo e avalia a melhor oportunidade de contratação, seja ela no ambiente livre ou regulado.

Destaca-se aqui que nem sempre a melhor forma de contratação está sempre no ambiente livre, nem tão pouco sempre no ambiente regulado, assim se faz necessária uma criteriosa avaliação para identificar a melhor opção que pode trazer grandes ganhos financeiros.

A Simple Energy também atua na ponta de geração com grande conhecimento regulatório e de regras de comercialização, identificando e criando as melhores oportunidades para a comercialização de energia.

Av. Das Nações Unidas, 14.171 - Marble Tower - 11º andar - Brooklin Novo

Tel: 2199 9400 - São Paulo - SP

Copyright 2017 - Simple Energy - Todos os direitos reservados